Impulsocontrate a Impulso

Como tomar melhores decis√Ķes

Rafael MirandaRafael Miranda

Opa! ūüĎč – Mira aqui.

Adicione meu endere√ßo de e-mail (mira@m1.impulso.teampara n√≥s n√£o perdermos contato.

Excelente manh√£ de segunda-feira para 1230+ L√≠deres de Alto Impacto

Aqui vai uma a√ß√£o concreta para voc√™ liderar com alta performance, sem burnout. 

A edi√ß√£o de hoje leva pouco mais de 6 minutos para ser lida, ok? 

Aproveite!

Líderes Inspiradores

Hoje temos mais uma edi√ß√£o escrita por pessoas convidadas.

Ele √© Designer Organizacional, Culture Hacker e especialista em OKR, al√©m de meu colega de longa data! Gustavo Grillo √© um verdadeiro l√≠der de Alto Impacto.

Vamos l√°?

Alguns estudos mostram que uma pessoa comum toma at√© 35.000 decis√Ķes por dia.

Esse n√ļmero me parece meio exagerado, e talvez leve em considera√ß√£o microdecis√Ķes inconscientes que n√£o s√£o relevantes.

Mas isso √© mais verdadeiro ainda para quem trabalha com o conhecimento, como pessoas desenvolvedoras de software, advogadas, executivas etc. Elas s√£o profissionais pagos para tomar decis√Ķes o tempo todo, est√° no seu job description.

Ainda assim, vejo pouca gente investir tempo em entender como tomamos decis√Ķes e como podemos ser melhores nisso, apesar de n√£o faltarem modelos e frameworks para tal.

Aliás, um dos motivos pelos quais imagino que isso aconteça é pela percepção de complexidade de alguns desses modelos e da incerteza sobre sua eficácia.

Mas quero falar aqui sobre uma abordagem específica.

Uma das principais causas das falhas em tomadas de decis√£o √© o fato de que ignoramos os nossos vieses cognitivos. Esses vieses ocorrem quando nosso c√©rebro usa atalhos mentais para processar informa√ß√Ķes de forma mais r√°pida, por√©m, nem sempre esses atalhos levam a uma conclus√£o correta.

O problema é que parece existir um hobby entre pesquisadores do comportamento, de criar novos vieses. Se você fizer uma busca, sua tela será inundada por dezenas de nomes de vieses.

√Č nesse ponto que voc√™ desiste de entender e volta a tomar decis√Ķes de forma amadora.

No começo do ano foi publicado um artigo (Toward Parsimony in Bias Research: A Proposed Common Framework of Belief-Consistent Information Processing for a Set of Biases) que traz uma abordagem mais simples para entender nossos vieses cognitivos.

O artigo prop√Ķe que a pesquisa sobre vieses englobe as cren√ßas que d√£o origem a eles.

Obviamente estou simplificando muito o conte√ļdo do artigo, mas o que interessa para o contexto de tomadas de decis√£o √© a lista de cren√ßas que ele cita como origem dos vieses. S√£o elas: 

  • Meu grupo √© bom;
  • A minha experi√™ncia √© uma refer√™ncia confi√°vel;
  • Eu sou uma pessoa boa (no sentido de n√£o fazer o mal);
  • S√£o atributos pessoais e n√£o contextos que influenciam resultados;
  • Eu fa√ßo avalia√ß√Ķes precisas sobre o mundo (e sobre as pessoas, implicitamente);
  • Meu grupo √© uma refer√™ncia confi√°vel (no sentido de eu poder extrapolar o comportamento do meu grupo para o resto das pessoas).

O processo que eu proponho, e estou experimentando, para melhorar tomadas de decisão é o seguinte: Deixe essa lista de crenças sempre à mão, e quando estiver tomando alguma decisão relevante se pergunte se alguma dessas crenças pode estar desviando a sua decisão de um caminho racional.

Por exemplo, fulano chegou atrasado hoje. Devo dar uma advertência?

  • Eu sempre chego no hor√°rio, ent√£o ele deveria tamb√©m conseguir chegar (minha experi√™ncia como refer√™ncia)
  • Ele √© pregui√ßoso, desorganizado (atributos pessoais) ou algo no seu ambiente (contexto) pode ter afetado o seu trajeto at√© o trabalho?

√Č um exemplo simples, e at√© meio bobo. Por isso, quero deixar claro que a minha proposta n√£o √© viver “passando pano” em tudo. 

Mas acho que ilustra um pouco o processo de calibra√ß√£o de tomada de decis√£o que proponho, com base no artigo. 

O que proponho aqui √© que, ao tomar uma decis√£o voc√™ cheque suas cren√ßas para tentar perceber se sua decis√£o est√° sendo influenciada por alguma delas. 

Faça este exercício ao liderar seu time e depois compartilha a sua experiência aqui. Talvez existam exemplos melhores por aí.

Isso √© tudo por hoje. Uma a√ß√£o concreta para voc√™!

Se não estiver obtendo valor dos meus e-mails, considere cancelar sua inscrição.

N√£o vou ficar chateado, ok?

Por outro lado, se est√° gostando, o melhor elogio que pode me fazer √© compartilhar a News L√≠der de Alto Impacto com uma pessoa que voc√™ acha que se beneficiaria dos meus conte√ļdos. 

Até semana que vem!

Grande abraço,

Mira

Para ler, seguir e avançar

The Future Leader: 9 Skills and Mindsets to Succeed in the Next Decade

Este livro prepara lideranças para o futuro, com base em entrevistas feitas com mais de 140 CEOs das empresas mais importantes do mundo.

Ele também mostra que serão necessárias novas habilidades e mentalidades para que líderes tenham sucesso neste futuro próximo.

Seus líderados gostariam de trabalhar com você novamente?

Esta thread do nosso CTO e Diretor de Comunica√ß√Ķes, Marcio Sena, vai te fazer refletir sobre qual √© o impacto que voc√™ gerou nas pessoas que passaram pelo seu time.

Nela, ele traz sua perspectiva sobre o que faz uma pessoa querer voltar a trabalhar novamente com sua liderança.

Edi√ß√Ķes¬†anteriores

Carregando...

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Ao aceitar, você concorda com nossa Política de Privacidade

Receba nossa newsletter

Receba semanalmente uma ação concreta para você alcançar e manter resultados excepcionais com seus times, sem burnout.

Pronto, em breve voc√™ vai receber novidades ūüĎć